Ele gritou que a amava mas ela nem ouviu. Continuou a fazer o amor que fazia, concentrada por completo. Nada nem ninguém existia naquela hora. Ele, novamente, entre uma estocada e outra afirmou que a amava, agora com sussuros e lambidas na ponta da orelha. Os corpos saciados, estendidos lado a lado, e ela o ignorou. O gozo dela era mais prolongado. E sexo é sozinho, sexo é cabeça. Se havia uma coisa que ela jamais fazia era falar de amor durante o seu prazer.  

Anúncios